O ensino da reportagem na era da desinformação

construindo um novo olhar

Autores

  • Rodrigo Pelegrini Ratier Faculdade Cásper Líbero (FCL)

Palavras-chave:

Reportagem, Ensino do jornalismo, Desinformação, Fake news, Credibilidade

Resumo

O objetivo deste artigo é discutir o lugar do ensino da reportagem no atual contexto de crise de credibilidade do jornalismo. Reconhecendo a emergência de fenômenos sociais como a hiperinformação, a desinformação e a infoxicação, defende-se a importância de problematizar o atual panorama midiático, propiciando a reflexão sobre as possibilidades de atuação do jornalismo profissional. Nesse sentido, consideram-se as contribuições de Martin Baron e Tom Rosenstiel para um olhar renovado sobre o ensino da reportagem. Entendida como técnica e gênero, a reportagem é apresentada aos educandos como alternativa fértil para a investigação aprofundada e humanizada, o debate plural e a garantia social da veracidade, diferenciando-se, assim, num ecossistema de informações pouco críveis.

Referências

AGNÈS, Y. Manuel de journalisme: écrire pour le journal. La Découverte, 2008.
BACCEGA, M. A. Mediação Organizativa: O Campo da Produção. Comunicação & Educação, n. 17, p. 7-16, 2000.
BARON, M. Speech by Martin Baron, editor to The Washington Post. Gabriel García Márquez Journalism Award, 2016. Disponível em: < https://premioggm.org/2017/03/speech-by-martin-baron-editor-to-the-washington-post/ >. Acesso em: 11 de março.
BRUM, E. O olho da rua: uma repórter em busca da literatura da vida real. Porto Alegre: Arquipelago Editorial, 2017.
CHAPARRO, M. C. Sotaques d'aquém e d'além mar: travessias para uma nova teoria de gêneros jornalísticos. São Paulo: Grupo Editorial Summus, 2008.
COLOMBO, S. As pessoas esperam que as notícias venham até elas, diz editor do 'Washington Post'. Folha de S. Paulo 2016.
DANTAS, A. Tempo de reportagem: histórias que marcaram época no jornalismo brasileiro. São Paulo: Leya, 2012.
DIMENSTEIN, G.; KOTSCHO, R. A aventura da reportagem. São Paulo: Summus Editorial, 1990.
EDELMAN. 2019 Edelman Trust Barometer. 2019. Disponível em: < https://www.edelman.com/sites/g/files/aatuss191/files/2019-03/2019_Edelman_Trust_Barometer_Global_Report.pdf?utm_source=website&utm_medium=global_report&utm_campaign=downloads >. Acesso em: 11 de março.
FALLIS, D. What is disinformation? Library Trends, v. 63, n. 3, p. 401-426, 2015.
JOHNSON, C. A. The information diet: A case for conscious comsumption. Sebastopol: O'Reilly Media, 2015.
KOVACH, B.; ROSENSTIEL, T. Os elementos do jornalismo: o que os profissionais do jornalismo devem saber eo público deve exigir. São Paulo: Geração Editorial, 2004.
LAGE, N. A reportagem: teoria e técnica de entrevista e pesquisa jornalística. Rio de Janeiro: Record, 2001.
LAKSHMANAN, I. A. R. Marty Baron: Fair and honest reporting ‘will be validated over the long run’. Poynter Institute 2017.
MANUAL. Manual da Redação da Folha de S. Paulo. São Paulo: Publifolha, 2001.
MARQUES DE MELO, J. A opinião no Jornalismo Brasileiro. Petrópolis: Vozes, 1994.
MARQUES DE MELO, J.; ASSIS, F.; LAURINDO, R. Gêneros Jornalísticos - Teoria e Práxis. Blumenau: Edifurb, 2012.
MARQUES DE MELO, J.; ASSIS, F. D. Gêneros jornalísticos no Brasil. São Bernardo do Campo: UMESP, 2010.
MEC; CNE. Resolução nº 1, de 27 de setembro de 2013 - Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para o curso de graduação em Jornalismo, bacharelado, e dá outras providências., Brasília, 2013. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=14242-rces001-13&category_slug=setembro-2013-pdf&Itemid=30192 >. Acesso em: 11 de março.
MEDINA, C. D. A. Entrevista: o diálogo possível. São Paulo: Ática, 1986.
OLIVEIRA, D. Jornalismo e ação cultural pela emancipação Uma práxis jornalística com base nos conceitos de Paulo Freire. Tese de livre-docência. São Paulo: ECA/USP, 2014.
ROMERO-RODRIGUEZ, L.; DE-CASAS, P.; PEDREIRA, M. Desinformación e Infoxicación en las cuartas pantallas. In: (Ed.). Competencias mediáticas en medios digitales emergentes. Salamanca: Comunicación Social Ediciones y Publicaciones, 2018 p.73-92.
ROSENSTIEL, T. What the post-Trump debate over journalism gets wrong. Brookings.edu, 2016. Disponível em: < https://www.brookings.edu/research/what-the-debate-over-journalism-post-trump-gets-wrong/ >. Acesso em: 11 de março.
ROSS, A. S.; RIVERS, D. J. Discursive Deflection: Accusation of “Fake News” and the Spread of Mis-and Disinformation in the Tweets of President Trump. Social Media+ Society, v. 4, n. 2, p. 12, 2018.
TANDOC JR, E. C.; LIM, Z. W.; LING, R. Defining “fake news”: a typology of scholarly definitions. Digital Journalism, v. 6, n. 2, p. 137-153, 2018.
YOUNG, E. How Millennials Get News: Inside the Habits of Americas First Digital Generation. Arlington, 2015. Disponível em: < http://www.mediainsight.org/PDFs/Millennials/Millennials% 20Report% 20FINAL.pdf >. Acesso em: 11 de março.

Publicado

2019-12-24

Como Citar

Ratier, R. P. (2019). O ensino da reportagem na era da desinformação: construindo um novo olhar. Revista Brasileira De Ensino De Jornalismo, 9(25), 16-30. Recuperado de http://rebej.abejor.org.br/index.php/rebej/article/view/323

Edição

Seção

Artigos