O uso dos dispositivos digitais móveis na produção de uma reportagem especial em vídeo

Autores

  • Fabiana Cardoso de Siqueira UFPB
  • Roberto Lucas F. Falcão Campos

Palavras-chave:

Jornalismo móvel, Reportagem especial em vídeo, Observação participante, Smartphone, LGBT

Resumo

O objetivo deste trabalho é apresentar o relato de experiência da aplicação praticada por meio do uso de dispositivos móveis no processo de produção de uma reportagem especial em vídeo. A atividade foi desenvolvida através das etapas de pré-produção, produção e pós-produção da reportagem especial “Elxs não cabem mais no armário”, realizada no Curso de Jornalismo da UFPB. O trabalho foi produzido e gravado por meio de um smartphone. Identificamos que as tecnologias móveis oferecem diferentes possibilidades para os jornalistas e facilitam a aproximação com as fontes, pois tornam-se menos invasivas do que uma câmera de vídeo profissional durante as gravações de temas de ordem pessoal.

Referências

BARBEIRO, H.; LIMA, P. Manual de telejornalismo: os segredos da notícia na tv. 1 ed. Rio de Janeiro: Campus, 2002.

BECCARI, C.; BERTOL, S. Seminário de linguagens comparadas: unir saberes para um jorna-lismo de excelência. In: FERREIRA NETO, Thaís Helena. Comunicação e jornalismo: conceitos e tendências. Ponta Grossa (PR): Atena Editora, 2018.

BUENO, T. Utopia digital: Repensando o papel revolucionário das novas tecnologias em redações de jornais do interior. Cambiassu: Estudos em Comunicação, São Luís, MA, v. 19, n. 11, p. 128-137, jul./dez., 2012.

CANAVILHAS, J.; RODRIGUES, C. Jornalismo móvel: linguagem, géneros e modelos de negócio. Covilhã: Livros LabCom. 2017. Disponível em: <http://www.labcom-ifp.ubi.pt/ficheiros/201704041535-201704_jdm.pdf>. Acesso em: 01 abr. 2019.

CANAVILHAS, J.; SATUF, I. Jornalismo móvel e inovações induzidas por affordances em narrativas para aplicativos em tablets e smartphones. In: Canavilhas; Satuf. (Orgs.) Jornalismo para Dispositivos Móveis - Produção, Distribuição e Consumo, Covilhã: Livros LabCom. 2015. Disponível em: <http://www.labcom-ifp.ubi.pt/ficheiros/20150622-201515_jdm_jcanavilhas.pdf>. Acesso em: 23 out. 2017.

DA SILVA, Wanderson. O jornalismo móvel e as aplicações nas rotinas produtivas dos telejornais: Um estudo do Bom dia Paraíba. João Pessoa: Universidade Federal da Paraíba. 2017.

DE LA RUE, S. A grande reportagem: entre o mercado e a academia. In: DUARTE, E. B.; CASTRO, M. L. D. (Orgs). Televisão: entre o mercado e a academia. Porto Alegre: Sulina, 2006.

MINISTÉRIO PÊBLICO DE PERNAMBUCO. Direitos da população LGBT: questões práticas sobre orientação sexual, identidade de gênero e homofobia. Recife, 2014. Disponível em: <http://www.mppe.mp.br/mppe/attachments/article/4164/Cartilha%20D.%20Homoafetivos3.pdf>. Acesso em: 21 out. 2017.

FIRMINO, F. Jornalismo Móvel Digital: uso das tecnologias móveis digitais e a reconfiguração das rotinas de produção da reportagem de campo. Salvador: Universidade Federal da Bahia. 2013. Disponível em: <https://repositorio.ufba.br/ri/bitstream/ri/13011/1/Fernando%20FIRMINO%20da%20Silva.pdf>. Acesso em: 8 out. 2017.

______. Jornalismo reconfigurado: tecnologias móveis e conexões sem fio na reportagem de campo. In: Anais..., Intercom - Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação. 31, 2008. Natal. Disponível em: <http://www.intercom.org.br/papers/nacionais/2008/resumos/R3-0652-1.pdf>. Acesso em: 23 out. 2017.

GIDDENS, A. O mundo em descontrole: o que a globalização está fazendo de nós. Trad. Maria Luiza X. de A. Borges. Rio de Janeiro: Record, 2000, p. 61-75.

HOLANDA, A. et al. Whatsapp no jornalismo móvel: um recorte da realidade de quatro veículos alagoanos. Âncora: Revista Latino-Americana de Jornalismo, João Pessoa, PB, v. 3, n. 2, p. 50-67, jul./dez., 2016.

HOLANDA, A.; PALACIOS, et al. Metodologias de pesquisa em jornalismo participativo no Brasil. Brazilian Journalism Research, Brasil, v. 4, n. 2, p. 57-76, jul./dez., 2008. Disponível em: <https://bjr.sbpjor.org.br/bjr/article/view/164/163>. Acesso em: 9 de out. de 2017.

ISAY, R. Tornar-se Gay: o caminho da aceitação. 1 ed. São Paulo: Summus. 1998.

KOTSCHO, R. A prática da reportagem. 4 ed. São Paulo: Ática, 2000.

LONGHI, R.; WINQUES, K. O lugar do longform no jornalismo online: qualidade versus quantidade e algumas considerações sobre o consumo. Brazilian Journalism Research, [S.l.], v. 11, n. 1, jun. 2015. Disponível em: <https://bjr.sbpjor.org.br/bjr/article/view/693/621>. Acesso em: 21 out. 2017.

MALUF, A. Novas Modalidades de Família na Pós-Modernidade. São Paulo: USP, 2010. Disponível em: <http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/2/2131/tde-31012011-154418/publico/TESE_COMPLETA_PDF_ADRIANA.pdf>. Acesso em: 8 out. 2017.

MISKOLCI, R. A Teoria Queer e a sociologia: o desafio de uma analítica da normalização. Sociologias, Porto Alegre, 11, n. 21, p. 150-182, jan./jun. 2009. Disponível em: <http://www.unisalesiano.edu.br/salaEstudo/materiais/p206631d11402/material3.pdf>. Acesso em: 8 out.2017.

NATIONAL GEOGRAPHIC: Género, La Revolución. Cidade do México: Editorial Televisa, vol. 40, n. 1, jan. 2017. Mensal. ISSN 1665-7764. Disponível em: <https://www.ehu.eus/documents/2007376/5040237/NationalGeographic_Genero-la-Revolucion-Enero2017.pdf>. Acesso em: 22 out. 2017.

PANINI, B. et al. A busca por representação LGBT na mídia e a alternativa da regionalização de conteúdo para a visibilidade de entidades. Contemporânea: Revista Unitoledo, Araçatuba, v. 1, n. 1, p. 94-106, out./dez. 2016. Disponível em: <http://www.ojs.toledo.br/index.php/contemporanea/article/view/2419>. Acesso em: 8 out.
2017.

PATERNOSTRO, V. O texto na TV: manual de telejornalismo. 7 ed. São Paulo: Brasiliense, 1999.

PERUZZO, C. Observação participante e pesquisa-ação. In: DUARTE, Jorge; BARROS, Antonio. Métodos e técnicas de pesquisa em comunicação. São Paulo: Atlas, 2005.

ROUDINESCO, E. A família em desordem. 1 ed. Rio de Janeiro: Editora Jorge Zahar, 2002, 86 p. Disponível em: <https://psiligapsicanalise.files.wordpress.com/2014/09/elisabeth-roudinesco-a-famc3adlia-em-desordem.pdf>. Acesso em: 21 out. 2017.

SANTOS, A.; SILVA, H. Identidade LGBT e capitalismo: a construção histórica da homofobia e as estratégias jurídicas para seu combate. Curitiba: Universidade Federal do Paraná. 2013. Disponível em: <http://www.direito.ufpr.br/portal/wp-content/uploads/2014/11/Jornada-5%C2%BA-lugar.-Andressa-e-Henrique1.pdf>. Disponível em: 21 out. 2017.

SCHULMAN, S. Homofobia familiar: uma experiência em busca de reconhecimento. Revista Bagoas, Natal, v. 4, n. 5, p. 67-78, jan./jun. 2010. Disponível em: <http://www.cchla.ufrn.br/bagoas/v04n05art04_schulman.pdf>. Acesso em: 7 out.
2017.

SILVA, A.; SOUSA, L. Autoaceitação, aceitação sócio-familiar e saúde
sexual de jovens homossexuais (do sexo biológico masculino) no maciço de
Baturité. São Francisco do Conde: Universidade da Integração Internacional da Lusofonia AfroBrasileira, 2016. Disponível em: <http://repositorio.unilab.edu.br:8080/jspui/bitstream/123456789/569/1/Antonio%20Willemberg%20Freitas%20da%20Silva.pdf>. Acesso em: 8 out. 2017.

SILVA, C. Orientação Sexual, Identidades Sexuais e
Identidades de Gênero. São Paulo: UNIFESP, [2015]. Disponível em: <http://www.comfor.unifesp.br/wp-content/docs/COMFOR/biblioteca_virtual/GDE/mod3/Semana3_Mod3_GDE.pdf>. Acesso em: 21 out. 2017.

SODRÉ, M; FERRARI, M.H. Técnica da Reportagem: notas sobre a narrativa jornalística. São Paulo: Summus, 1986.

WOLF, M. Teorias da Comunicação. 5 ed. Lisboa: Presença, 1999.

Publicado

2019-12-24

Como Citar

Siqueira, F. C. de, & Campos, R. L. F. F. (2019). O uso dos dispositivos digitais móveis na produção de uma reportagem especial em vídeo. Revista Brasileira De Ensino De Jornalismo, 9(25), 85-98. Recuperado de http://rebej.abejor.org.br/index.php/rebej/article/view/360

Edição

Seção

Relato de Experiência