Do projeto das DCNs a sua implantação

percepções sobre as transformações da identidade jornalística refletida nos TCCs

Autores

  • Soraya Venegas Ferreira

Palavras-chave:

Identidade profissional do Jornalista, Ensino e Pesquisa em Jornalismo, Diretrizes Curriculares Nacionais, Trabalhos de Conclusão de Curso, Curso de Jornalismo Estácio Niterói

Resumo

Há dez anos foi publicada a primeira versão do documento norteador das Diretrizes Curriculares Nacionais (DCNs), para a formação de bacharéis em Jornalismo, e não mais em Comunicação Social. Quase que simultaneamente, o STF anunciou o fim da exigência de diploma para o exercício profissional. Esses fatos aparentemente antagônicos impactaram a procura pelo curso, a identidade profissional e o perfil do jornalista brasileiro na segunda década do terceiro milênio. A partir da observação dos Trabalhos de Conclusão de Curso (TCCs), elaborados pelos futuros bacharéis em Jornalismo – e não mais em Comunicação Social, formados no campus Niterói da Universidade Estácio de Sá, entre 2014-2018, buscou-se identificar caminhos teóricos e percepções sobre a identidade profissional em transformação.

Referências

BRASIL. Ministério da Educação e Cultura. Conselho Federal de Educação. Resolução n° 002, de 24 de janeiro de 1984. Fixa o currículo mínimo do curso de Comunicação Social e dá outras providencias. Documenta, Brasília, fev. 1984, n° 278, p. 209-211.

BRASIL. Portaria nº 203, de 12 de fevereiro de 2009. Relatório da Comissão de Especialistas instituída pelo Ministério da Educação - Diretrizes Curriculares Nacionais para o curso de Jornalismo. Portal MEC, Brasília, 12 fev. 2009. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/dmdocuments/documento_final_cursos_jornalismo.pdf>. Acesso em: 20 mai. 2019.

BRASIL. Manual para classificação dos cursos de Graduação e Sequenciais - CINE BRASIL 2018. Disponível em: <http://download.inep.gov.br/educacao_superior/censo_superior/apresentacao/2018/Manual_Preliminar_para_a_Classificacao_dos_Cursos_Cine_Brasil_2018.pdf>. Acesso em: 4 mai. 2019.

CHARAUDEAU, Patrick. Discurso das mídias. São Paulo: Contexto, 2012.

FACCIN, Milton; FERREIRA, Soraya. Jornalismo de roupa nova: Considerações sobre a identidade e a prática profissional a partir do Prêmio Imprensa Embratel. Brazilian Journalism Research, São Paulo, v. 9, n. 2, p. 172-190, 2013. Disponível em <https://bjr.sbpjor.org.br/bjr/article/viewFile/588/498>. Acesso em: 28 abr. 2019.

LOPES, Fernanda L. Ser Jornalista no Brasil: Identidade Profissional e Formação Acadêmica. São Paulo: Editora Paulus, 2013

MICK, Jacques. Detalhamento metodológico da pesquisa “Perfil profissional do jorna-lismo brasileiro”. Disponível em: <http://perfildojornalista.ufsc.br/files/2012/04/PerfilJornal_Metodologia.pdf>. Acesso em: 20 mai. 2019.

______ (coord); BERGAMO, Alexandre; LIMA, Samuel. Quem é o Jornalista Brasileiro? Perfil da Profissão no País. Disponível em <https://fenaj.org.br/wp-content/uploads/2016/01/pesquisa-perfil-jornalista-brasileiro.pdf>. Acesso em: 20 mai. 2019.

TRAQUINA, Nelson. Teorias do Jornalismo. Florianópolis: Insular, 2008.

Publicado

2019-12-24

Como Citar

Ferreira, S. V. (2019). Do projeto das DCNs a sua implantação: percepções sobre as transformações da identidade jornalística refletida nos TCCs. Revista Brasileira De Ensino De Jornalismo, 9(25), 131-145. Recuperado de http://rebej.abejor.org.br/index.php/rebej/article/view/362

Edição

Seção

Relato de Experiência