Percepção dos jornalistas sul-mato-grossenses sobre a queda da obrigatoriedade do diploma universitário e a desinformação

Autores

  • Marcos Paulo da Silva Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS)
  • Maria Paula Garcia

DOI:

https://doi.org/10.46952/rebej.v11i29.465

Palavras-chave:

Jornalismo, Diploma, Desinformação, Mato Grosso do Sul

Resumo

O artigo propõe uma reflexão sobre a importância da formação universitária em Jornalismo a partir da percepção dos jornalistas de Mato Grosso do Sul sobre as eventuais relações entre a queda da obrigatoriedade do diploma para o exercício do Jornalismo, ocorrida em 2009 a partir de decisão do Supremo Tribunal Federal, e a ampliação da disseminação de desinformação na sociedade. O levantamento empírico que sustenta o artigo resulta da aplicação de um questionário em um recorte de 102 jornalistas no mês de maio de 2021. Dentre outras conclusões, infere-se que que os respondentes mais jovens são menos sensíveis ao aumento da desinformação em comparação com os profissionais em faixas etárias acima dos 40 anos. Observa-se ainda que os mais jovens apresentam a tendência a valorizar mais o diploma e toda a bagagem adquirida durante a formação.

Biografia do Autor

Marcos Paulo da Silva, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS)

professor adjunto da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS). Atua no Programa de Pós-Graduação em Comunicação (Mestrado), no Programa de Pós-Graduação em Estudos de Linguagens (Doutorado) e nos cursos de graduação em Jornalismo e Audiovisual da Faculdade de Artes, Letras e Comunicação (FAALC/UFMS). Doutor em Comunicação Social pela Universidade Metodista de São Paulo (UMESP), com estágio de doutorado-sanduíche (PDEE/CAPES) na Syracuse University (Syracuse, New York, Estados Unidos). Jornalista e mestre em Comunicação pela Universidade Estadual Paulista (UNESP). Realiza pesquisas sobre aspectos teóricos do jornalismo, noticiabilidade, cotidiano e estética da comunicação. É líder do Grupo de Pesquisa Cotidiano e Noticiabilidade (UFMS).

Maria Paula Garcia

Jornalista graduada pela UFMS.

Referências

ANDRADE, Sérgio Murillo de. Carta Aberta aos Presidentes e dirigentes dos Sindicatos de Jornalistas. São Paulo: 2009. Disponível em: . Acesso em: 22 mai. 2021.

BERGAMO, Alexandre; MICK, Jacques; LIMA, Samuel. Perfil do Jornalista Brasileiro: carac-terísticas demográficas, políticas e do trabalho (2012), síntese dos principais resultados. Santa Catarina: UFSC, 2012. Disponível em: <https://perfildojornalista.ufsc.br/>. Acesso em: 16 jun. 2021.

CHRISTOFOLETTI, Rogério. A crise do Jornalismo tem solução? Barueri, SP: Estação das Letras e Cores, 2019.

GIL, Antonio Carlos. Métodos e técnicas de pesquisa social. Ed. 6, São Paulo: Atlas, 2008.

IBANHES, Miriam Cristina. A construção do discurso de autolegitimação do jornalismo: uma investigação das campanhas publicitário-editoriais contra as “Fake News”. Disserta-ção (Mestrado em Comunicação), Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (MS). Cam-po Grande, 2020.

LAZER, David M. J. et al. The Science of fake news. Science. Washington, v. 359, n.6380, p. 1094-1096, 2018.

PETRARCA, Fernanda Rios. “O jornalismo como profissão: recursos sociais, titulação acadêmica e inserção profissional dos jornalistas no Rio Grande do Sul. Tese (Douto-rado em Sociologia). Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre (RS), 2007.

RAMONET, Ignácio. A tirania da comunicação. Petrópolis: Vozes, 1999.

RAMONET, Ignacio. A explosão do jornalismo: das mídias de massa à massa de mídias. São Paulo: Publisher Brasil, 2012.

SILVA, Oswaldo Ribeiro. O campo de jornalismo entre recursos e estratégias de conver-são na economia da diplomação. Tese (Doutorado em Educação). Universidade Federal de Mato Grosso do Sul. Campo Grande, 2014.

TANDOC, Edson C. Jr; LIM, Zheng Wei; LING, Richard. Defining “Fake News”, in: Digital Journalism 6:2, 30 de ago. de 2017. 137-153 p. Disponível em: <https://www.tandfonline.com/doi/full/10.1080/21670811.2017.1360143> Acesso em: 23 abr. 2021.

THOMPSON, John B. Ideologia e cultura moderna: teoria social crítica na era dos meios de comunicação de massa. Petrópolis: Vozes, 1998.

TRÄSEL, Marcelo; LISBOA, Silvia; REIS, Giulia. Indicadores de credibilidade no jornalismo: uma análise dos produtores de conteúdo político brasileiros. In: Anais do XXVII Encontro Anual da Compós, Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, Belo Horizonte - MG, 05 a 08 de junho de 2018.

Publicado

2021-12-22

Como Citar

da Silva, M. P., & Garcia, M. P. . (2021). Percepção dos jornalistas sul-mato-grossenses sobre a queda da obrigatoriedade do diploma universitário e a desinformação. Revista Brasileira De Ensino De Jornalismo, 11(29), 75-90. https://doi.org/10.46952/rebej.v11i29.465

Edição

Seção

Dossiê