Cortella em corte epistemológico

difusionismo enciclopedista no programa “Academia CBN”

Palavras-chave:

Rádio CBN, Paradigma, Epistemologia

Resumo

Pretende-se evidenciar a filiação aos paradigmas cartesianos no quadro radiofônico “Academia CBN”, veiculado pela rádio CBN paulistana desde 2012 e apresentado pelo filósofo Mário Sérgio Cortella. Problematizamos sua postura de difusionismo científico com base nos programas de janeiro de 2019 a partir de parâmetros como tema, livros e autores citados. A base teórica epistemológica tem como referências principais Edgar Morin e Cremilda Medina. Concluímos que a proposta do “Academia CBN” de discutir filosofia pelo rádio não é dialógica, mas impositiva, esgotando-se na limitada transmissão de conteúdos.

Referências

BAGNO, Marcos. Preconceito linguístico - o que é, como se faz. São Paulo: Loyola, 2002.
CANCLINI, Nestor Garcia. As culturas populares no capitalismo. São Paulo: Brasiliense, 1983.
DAMÁSIO, Antônio. O erro de Descartes – Emoção, razão e cérebro humano. São Paulo: Companhia das Letras, 2003.
DESCARTES, René. Discurso do método. Trad. Maria Ermantina Galvão. São Paulo: Martins Fontes, 2001.
FREIRE, Paulo. Extensão ou comunicação? Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1983.
_____. Pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.
_____. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1996.
GRECO, Milton. Os paradigmas fundamentados na certeza. In: A crise dos paradigmas. Anais do 1º Seminário Transdisciplinar. São Paulo: ECA/USP, 1991.
HOLANDA, Sérgio Buarque. Raízes do Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.
KANT, Immanuel. Resposta à pergunta o que é Iluminismo?. In: KANT, Immanuel. A paz perpétua e outros opúsculos. São Paulo: Edições 70, 1995.
KUHN, Thomas S. A estrutura das revoluções científicas. Trad. Beatriz Vianna Doeira e Nelson Boeira. São Paulo: Perspectiva, 2006.
MEDINA, Cremilda. Entrevista: o diálogo possível. São Paulo: Ática, 1996.
_____. (Org.) Ciência e sociedade: mediações jornalísticas. São Paulo: Estação Ciência, CCS/USP, 2005.
_____. Ciência e jornalismo: da herança positivista ao diálogo dos afetos. São Paulo: Summus, 2008.
_____. O criador da assinatura coletiva. In: Liberdade de expressão, direito à informação nas sociedades latino-americanas. São Paulo: Fundação Memorial da América Latina, 2010.
_____. Ato presencial: mistério e transformação. São Paulo: Casa da Serra, 2016.
MORIN, Edgar. Ciência com consciência. Trad. Maria D. Alexandre e Maria Alice Sampaio Dória. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2005.
_____ . Introdução ao pensamento complexo. Trad. Dulce Matos. Lisboa: Instituto Piaget, 2008.
NIETZSCHE, Friedrich. A gaia ciência. In: Obras incompletas. São Paulo: Nova Cultural, 1999.
RIBEIRO, Renato Janine. O afeto autoritário. Televisão, ética e democracia. São Paulo: Ateliê Editorial, 2005.
ROUANET, Sérgio Paulo. As razões do Iluminismo. São Paulo: Companhia das Letras, 1987.
SANTOS, Boaventura de Souza. Introdução a uma ciência pós-moderna. Rio de Janeiro: Graal, 1989.
SCHWARCZ, Lilia Moritz. Lima Barreto: triste visionário. São Paulo: Companhia das Letras, 2017.

Publicado

2020-01-06

Como Citar

Cortella em corte epistemológico: difusionismo enciclopedista no programa “Academia CBN”. (2020). Revista Brasileira De Ensino De Jornalismo, 9(25), 57-67. Recuperado de http://rebej.abejor.org.br/index.php/rebej/article/view/364

Edição

Seção

Artigos