Prática de ensino do jornalismo esportivo como pesquisa-formação

experiência de desancoragem de territórios conhecidos

Autores

  • Marcos Paulo da Silva Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS)
  • Silvan Menezes dos Santos Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS)

DOI:

https://doi.org/10.46952/rebej.v10i27.418

Palavras-chave:

Jornalismo, Esporte, Pesquisa-formação, Mídia-Educação

Resumo

Este trabalho detém-se a experiência de oferta da disciplina de Jornalismo Esportivo, pela primeira vez na história da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul. Diante da relativa autonomia do referido campo e da produção científica existente sobre o tema, optou-se pelo aprofundamento do diálogo entre as áreas do Jornalismo e da Educação Física, com professores dos dois cursos, que ministraram as aulas conjuntamente. Calcados nas dimensões instrumental, crítica e produtiva da mídia-educação e subsidiados pela perspectiva da pesquisa-formação, organizaram o conteúdo em quatro eixos temáticos. A experiência resultou na produção de seis podcasts esportivos e, sobretudo, na formação crítica e ampliada de profissionais das áreas e de sujeitos para o exercício da cidadania.

Biografia do Autor

Silvan Menezes dos Santos, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS)

Doutor em Educação Física pela Universidade Federal do Paraná (UFPR), com estágio de doutorado-sanduíche na Universidad Cardenal Herrera (Valência, Espanha). Professor adjunto da Faculdade de Educação da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (FAED/UFMS).

Referências

ACCOUNTABLE SPORTS JOURNALISM. Guidelines for covering sports responsibly. Ac-countable Sports Journalism, 2017. Disponível em: <https://accountablesportsjournalism.org/code/>. Acesso em: 02 dez. 2020.

BETTI, Mauro. Esporte na mídia ou esporte da mídia? Motrivivência, n. 17, p. 1–3, set., 2001.

BÉVORT, Evelyne; BELLONI, Maria Luiza. Mídia-educação: conceitos, histórias e perspecti-vas. Educação e Sociedade, v. 30, n. 109, p. 1081-1102, set./dez. 2009.

BORELLI, Viviane; FAUSTO NETO, Antonio. Jornalismo esportivo como construção. Cader-nos de Comunicação, n. 7, p. 61–74, dez., 2002.

BRITISH PARALYMPIC ASSOCIATION. Guide to Reporting on Paralympic Sport. Reino Unido: ParalympicsGB, 2012. Disponível em: <http://paralympics.org.uk/uploads/documents/imported/ParalympicsGB_Guide_to_Re porting_on_Paralympic_Sport_-_June_2012.pdf>. Acesso em: 02 dez. 2020.

FANTIN, Mônica. Mídia-educação: conceitos, experiências e diálogos Brasil-Itália. Floria-nópolis: Cidade Futura, 2006.

FERREIRA, Ricardo Alexino. Jornalismo especializado – jornalismo científico: análise crítica, estudo de casos e a construção de novos paradigmas e de um novo currículo disciplinar. In: XXV Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação. Anais… Salvador (BA): Inter-com, 2002.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

GALATTI, Larissa Rafaela, et al. Esporte contemporâneo: perspectivas para a compreensão do fenômeno. Corpoconsciência, v. 22, n. 3, p. 115–127, set./dez., 2018.

GASTALDO, Édison. Estudos Sociais do Esporte: vicissitudes e possibilidades de um campo em formação. Comunicação e Esporte, v. 17, n. 2, p. 6–15, jul./dez., 2010.

GEERTZ, Clifford. O Senso comum como um sistema cultural. In: GEERTZ, Clifford. O saber local: novos ensaios em antropologia interpretativa. 9.ed. Petrópolis (RJ): Vozes, 2007.

GUMBRECHT, Hans Ulrich. Elogio da beleza atlética. São Paulo: Companhia das Letras, 2007.

INTERNATIONAL PARALYMPIC COMMITTEE. Guide to reporting on persons with an im-pairment. Bonn: International Paralympic Committee, 2014. Disponível em: <https://www.paralympic.org/sites/default/files/document/141 027103527844_2014_10 _31+Guide+to+reporting+on+persons+with+an+impairment.pdf>. Acesso em: 02 dez. 2020.

MARCHI JUNIOR, Wanderley. O esporte “em cena”: perspectivas históricas e interpretações conceituais para a construção de um modelo analítico. The Journal of the Latin Ameri-can Socio-cultural Studies of Sport, v. 5, n. 1, p. 46-67, jan./jun., 2015.

MARQUES, José Carlos. O estigma de ser jornalista esportivo: a discriminação do profissio-nal de esporte na imprensa brasileira. Intercom - XXVI Congresso Brasileiro PUC/MG. Anais...Belo Horizonte (MG): Intercom, 2003.

________________. “Teoria ou prática”? O movimento pendular dos cursos de comunicação no Brasil e a abordagem do esporte. Atos de Pesquisa em Educação, v. 8, n. 1, p. 165–181, jan./abr., 2013.

MARQUES, Renato Francisco Rodrigues; GUTIERREZ, Gustavo Luis; MONTAGNER, Paulo César. Novas configurações socioeconômicas do esporte na era da globalização. Revista da Educação Física/UEM , v. 20, n. 4, p. 637–648, out./dez., 2009.

MELO, José Marques; ASSIS, Francisco. Gêneros e formatos jornalísticos: um modelo classi-ficatório. Intercom - Revista Brasileira de Ciências da Comunicação. São Paulo, v.39, n.1, p.39-56, jan./abr. 2016.

MIGUEL, Katarini G.; SILVA, Marcos Paulo da. Jornalismo – Bacharelado na UFMS: novas diretrizes, novos desafios. In: FERNANDES, Mario Luiz; PERES, Rafaella Lopes P. (orgs). En-tre tempos: 30 anos do curso de Jornalismo da UFMS. Campo Grande (MS): Editora UFMS, 2020.

MIRANDA, Lyana Virgínia Thédiga de; SILVA, Luiza Monica Assis da. Competência midiáti-ca e cidadania digital: reflexões teórico-metodológicas. REU, v. 43, n. 2, p. 309-326, dez. 2017.

PAPPOUS, Athanasios; SOUZA, Doralice Lange de. Guia para a mídia: Como cobrir os Jo-gos Paralímpicos Rio 2016. Brasília: University of Kent / Universidade Federal do Paraná, 2016. Disponível em: <http://www.cpb.org.br/documents/20181/0/Guia+para+a+mídia+Rio+2016/a26cb813 -1e28-4e71-84d8-bd93ea39308c>. Acesso em: 02 dez. 2020.

PIRES, Giovani De Lorenzi. Cultura esportiva. In: FENSTERSEIFER, Paulo? GONZALES, Fer-nando (orgs.). Dicionário crítico da Educação Física. Ijuí: UNIJUÍ , 2000.

______. A Educação Física e o discurso midiático: abordagem crítico -emancipatória. Ijuí: Unijuí, 2002.

______ (org.). “Observando” o Pan Rio/2007 na mídia. Florianópolis, SC: Tribo da Ilha, 2009.

______ (org.). O Brasil na Copa, a Copa no Brasil: registros de agendamento para 2014 na cobertura midiática da Copa da África do Sul. Florianópolis, SC: Tribo da Ilha, 2011.

____________; LISBÔA, Mariana Mendonça. (Orgs.). Quem será “mais Brasil” em Lon-dres/2012?: enquadramentos no telejornalismo esportivo dos Jogos Olímpicos. Florianó-polis, SC : Tribo da Ilha, 2015.

______________; et al. Retrato preliminar da produção em Educação Física / Mídia no Brasil. 1o Congresso Brasileiro de Informação e Documentação Esportiva. Anais... Brasília, 2006. Disponível em: <http://www.labomidia.ufsc.br/index.php/acesso-aberto/publicacoes/doc_download/201-retrato-da-producao-em-educacao-fisica-midia-no-brasil>. Acesso em: 02 dez. 2020.

PNUD. Relatório de Desenvolvimento Humano Nacional - Movimento é Vida: Ativida-des Físicas e Esportivas para Todas as Pessoas: 2017. Brasília: PNUD, 2017.

RAMON-VEGAS, Xavier; ROJAS-TORRIJOS, José Luis. Mapping media accountability instru-ments in sports journalism. El profesional de la información, v. 26, n. 2, p. 159-171, mar./abr., 2017.

RIBEIRO, Sérgio Dorenski Dantas. Educação e mídia: formação do sujeito em espaço-tempo de Educação Física. Tese de doutorado. Salvador: Programa de Pós-graduação em Educação, Universidade Federal da Bahia, 2013.

SANFELICE, Gustavo Roese. Campo midiático e campo esportivo: suas relações e constru-ções simbólicas. Revista Brasileira de Ciências do Esporte, v. 31, n. 2, p. 137– 153, 3 mar. 2010.

SANTOS, Silvan Menezes dos, et al. Estudo da produção científica sobre Educação Física e Mídia/TICs em periódicos nacionais (2006-2012). Revista Brasileira de Ciências do Es-porte, v. 36, n. 2, p. 123–139, abr./jun., 2014.

SANTOS, Silvan Menezes dos; MEZZAROBA, Cristiano; SOUZA, Doralice Lange de. Jorna-lismo esportivo e Infotenimento: a (possível) sobreposição do entretenimento à informa-ção no conteúdo jornalístico do esporte. Corpoconsciência, v. 21, n. 2, p. 93–106, mai./ago., 2017.

SHOEMAKER, Pamela J.; COHEN, Akiba. News around the world: Practitioners, Content, and the Public. New York: Routledge, 2006.

SILVA, Gislene. Para pensar a noticiabilidade. Revista Estudos em Jornalismo e Mídia, Universidade Federal de Santa Catarina, v. 2, n. 1, jan./jun., 2005.

SILVA, Marcos Paulo. A construção cultural da narrativa noticiosa: noticiabilidade, re-presentação simbólica e regularidade cotidiana. Tese de doutorado. São Bernardo do Campo: Universidade Metodista de São Paulo, 2013.

SODRÉ, Muniz. A narração do fato: notas para uma teoria do acontecimento. Petrópolis: Vozes, 2009.

SPÀ, Miquel de Moragas. Comunicación y deporte en la era digital: sinergias, contradicci-ones y responsabilidades educativas. Contratexto, v. 12, p. 73–92, dez., 1999.

______. Comunicación y deporte en la era digital. (Asociación Española de Investigación Social Aplicada al Deporte, Org.). IX Congreso de la Asociación Española de Investigación Social Aplicada al Deporte (AEISAD). Anais...Las Palmas de Gran Canaria: Centre d’Estudis Olímpics UAB, 2007. Disponível em: <https://core.ac.uk/download/pdf/13282886.pdf>. Acesso em: 02 dez. 2020.

TRAQUINA, Nelson. Teorias do jornalismo: a tribo jornalística / uma comunidade inter-pretativa internacional. Florianópolis: Insular, 2008.

Publicado

2021-03-21

Como Citar

da Silva, M. P., & Menezes dos Santos, S. (2021). Prática de ensino do jornalismo esportivo como pesquisa-formação : experiência de desancoragem de territórios conhecidos. Revista Brasileira De Ensino De Jornalismo, 10(27), 88-102. https://doi.org/10.46952/rebej.v10i27.418

Edição

Seção

Relato de Experiência